aRtemporal #5 ‘Quase Erótica’, novo álbum de Cris Braun, chega com o melhor do pop propondo reflexões

Música #dubrasil

em 5 de outubro de 2021

Se é quase, é parte. Se uma parte é erótica, em outras partes deste notável trabalho não encontrei candura, ou qualquer indício do avesso ao erotismo, mas sim algo mais que erótico, também mais que complementar, uma degeneração musical e poética, típica dos artistas que entram para a eternidade, mesmo nos doces arranjos das canções “Invisíveis” e “Logado”.

Cris Braun – “Invisíveis”

E tem mais, mergulhando na história musical de Cris Braun, desde os rocks dos Sex Beatles, ela não é quase, é inteira: erótica, expansiva, na lata… como é a letra da música “E o seu namorado também”, composta nos tempos da banda carioca “noventeira” e que faz parte deste novo álbum. 

“E o seu namorado também”

“Hoje quando dizem ‘Vamos?’, eu pergunto ‘Com quem?’ 

Quero você e o seu namorado também.” 

Reflexões à parte, Cris conta, em nossa nano entrevista, que o nome do álbum é uma brincadeira com a vivência da menopausa. Mais uma vez, faz do bom humor matéria prima para seu trabalho.

Com as mãos do pianista, arranjador e produtor, Dinho Zampier, e as asas da imaginação que Alagoas lhe deu, ‘Quase erótica’, lançado pelo selo Lab 344, reforça a parceria de Dinho com Cris Braun, já consagrada em 2017 no álbum ‘Filme‘ – não deixe nunca, nunquinha, de conferir! 

Foto: Henrique Oliveira

‘Quase Erótica’ traz sonoridade que mescla o pop de décadas atrás com o moderno estético e tecnológico, e remexe arrastados movimentos rítmicos provincianos, com gingas inquietas das capitais. Nele tem mar, tem sertão, tem sul, tem norte e outros tantos cantos do país. Tem malemolência de dança pra corpos, intenções molhadas para bocas e a malícia dos olhares para mirarmos múltiplas paisagens e deixarmos entrar diferentes luzes. Tem os desafios de uma obra atemporal. 

Cheio das sinceridades dos bem humorados, frases como “Eu adoro seus defeitos” e “Eu acho que você devia dizer mais coisas sem nexo”, na letra da canção “Tudo que você queria saber sobre si mesmo” – outra dos tempos de Sex Beatles – dão o tom da irreverência ao trabalho. Saca só: 

Cris Braun – “Tudo que você queria saber sobre si mesmo”

Cris Braun, nascida na efervescente década de 60, é gaúcha, curtiu a mocidade, nos áureos tempos do pop, na cidade maravilhosa e hoje faz morada em Maceió – AL.

Alexandre Marques No Sul, Rio, Maceió…como os lugares em que viveu ecoaram em ‘Quase Erótica’?

Cris Braun Todas as canções são dos tempos que morei no Rio, a brincadeira com o nome é a vivência da menopausa! rsrs 

Alexandre Marques Além de Dinho Zampier, você reuniu grandes músicos e amigos neste novo trabalho. Como foi definir e desbravar, com essa galera, os caminhos que levaram a um resultado que soa tão “maestrado”?

Cris Braun Billy Brandão está comigo desde sempre. Jam da Silva é um percussionista com quem sempre quis fazer algo, e este foi o momento – natural chamá-los!! Pensamos em soar como uma banda!

Alexandre Marques ‘Quase erótica’ conta com oito canções, algumas gavadas pela Sex Beatles. Qual o relacionamento do nome do álbum com estas músicas e com o seu momento artístico? 

Cris Braun Sim, basicamente o repertório gira em torno desta época – anos 90. O nome, como eu sempre digo, é auto-ironia! Poderia chamar-se NEO erótica – rsrs, mas ‘Quase Erótica’ é mais provocativo . 

Alexandre Marques é compositor, produtor musical, fotógrafo, videomaker…nas horas vagas cervejeiro, padeiro caseiro e autor da coluna aRtemporal. Formado em marketing, viu no trabalho de assessoria de comunicação uma oportunidade de unir conhecimentos e estar próximo dos artistas, um universo que adora, levando suas obras para mais pessoas.

Você também vai gostar disso 👇