Curta: Libertador

Cinema #dubrasil

em 9 de julho de 2020

A diretora de cinema curitibana Úrsula Riesemberg morou na Espanha, nos Estados Unidos, Santa Catarina e Rio Grande do Norte. Dedicou alguns anos da sua vida à dança (balé clássico, jazz e dança contemporânea).

Aos 50 anos de idade resolveu fazer o que sempre gostou: o Cinema. Seu primeiro curta, “Libertador”, foi filmado em Super 8 e ganhou dois prêmios internacionais. Foi também selecionado para vários outros festivais internacionais, na Polônia, Austrália e Nigéria. Nos últimos três anos produziu mais três curtas super 8, “Viver”, “O Dom”, “Compartimentos”, um documentário, “Passo do Compasso”, com 22 minutos de duração e “Live”, um curta digital de 15 minutos filmado na Fortaleza dos Reis Magos em Natal/RN. Dirigiu dois vídeo clipes da cantora curitibana Laura Dalla, “No Religion” e “Seven Months”. Trabalha sempre em parceria com seu filho, também cineasta, Yuri Riesemberg.

LIBERTADOR, 2017

CURTA: LIBERTADOR, 2017

Sinopse:

Passado, persente e futuro. A felicidade não está no tempo ou no espaço, mas em nós mesmos. Pura emoção, Libertador!

Ficha Técnica:

  • Direção e Roteiro: Úrsula Riesemberg
  • Direção de Produção: Bruna Costa
  • Direção de Fotografia: Yuri Riesemberg
  • Elenco: Claudia Bona, Leila Bona, Mani Bahiana, Lalita Upadhyay

LABO Úrsula, achei muito inspiradora a conversa que tivemos por telefone e acredito que seja importante compartilhar. Gostaria que tu falasse sobre essa virada na tua vida e como está sendo essa nova fase.

Úrsula Esta nova fase foi praticamente um regresso a minha infância, quando eu escrevia e montava peças de teatro, na garagem da nossa casa, junto com meus irmãos e meus vizinhos que eram a plateia. Essas lembranças me fizeram mergulhar novamente neste universo lúdico. Decidi então me reinventar, juntando minha experiência de vida e meu amor à arte.

LABO “Libertador” foi teu primeiro curta. Ao assisti-lo, consegui sentir o cheiro do mato, o vento no rosto, a sensação de liberdade…quanto de autobiográfico tem nele?

Úrsula Tem um pouco de mim com certeza! O balanço me lembra muito quando o meu pai me levava ao passeio público para brincar. A fazenda de meus avós, no Mato Grosso de Sul, onde eu passava minhas férias e costumava andar sozinha na mata virgem. A sensação de liberdade e segurança quando meu pai me balançava me acompanhou a vida inteira, o contato com a natureza bruta, o cheiro da mata, e ter a consciência de que a sensação da felicidade são estes momentos eternizados, e que tudo está dentro de nós mesmos, não adianta procurar fora, está tudo dentro.

LABO E aí, o que tu nos diz sobre o mercado cinematográfico para as mulheres diretoras?

Úrsula Tenho encontrado bastante incentivo e apoio às mulheres nesta área, muitos festivais nacionais e internacionais estão dando espaço exclusivo a diretoras e a filmes feitos totalmente por mulheres. Vejo que o número de diretoras está aumentando consideravelmente, e acho que isto se deve ao fato de o público estar gostando, e conhecendo mais, deste lado sensível que as mulheres normalmente têm mais facilidade em expressar.

LABO Plural Singular + Cardume

A LABO Plural Singular e a plataforma Cardume que, entre muitas outras coisas, têm em comum a missão de fortalecer a produção cultural no Brasil, estão virtualmente de mãos dadas para toda semana apresentar um curta-metragem nacional e uma nano entrevista com sua / seu respectiv@ diretora / diretor. Assim como dar nome a todas as pessoas envolvidas na produção cinematográfica brazuca, porque nem só de direção e elenco é feito um bom filme. Preparem o estoque de pipoca que informação e diversão são por nossa conta.

Você também vai gostar disso 👇