Festival de Teatro Virtual da Funarte

Cultura #dubrasil

em 12 de agosto de 2021

A Fundação Nacional de Artes – Funarte realiza a partir deste mês, até o final de outubro, o Festival de Teatro Virtual. A agenda tem 25 espetáculos, cinco de cada uma das regiões do País, inspirados em textos de autores como Caio Fernando Abreu e Edgar Allan Poe ou com base na criação dos próprios grupos e companhias. As montagens em vídeo são disponibilizadas todas as quintas e sextas, às 18h30, no canal da Fundação no YouTube (www.youtube.com/funarte). 

Já está disponível o espetáculo de estreia, O Homem e a Mancha: 24 anos-luz, que celebra o legado do contista, romancista, dramaturgo e jornalista brasileiro Caio Fernando Abreu (1948-1996). O ator Marcos Breda, unido ao diretor Aimar Labaki, registra uma releitura do monólogo em vídeo. A obra inclui filmagens de janeiro deste ano, na Sala Guiomar Novaes, do Complexo Cultural Funarte SP; imagens de arquivo da mesma peça encenada por Breda em 1996, 1997 e 2016, com direção de Luis Artur Nunes; e registros do próprio Caio Fernando Abreu, em 1994, lendo as rubricas de como desejava cada cena. 

Enquanto o vídeo apresenta tempos distintos, o próprio texto de Caio Fernando Abreu fala de diferentes personagens dentro do mesmo, como uma matriosca, uma boneca-russa. “A peça começa com um ator; de dentro desse ator sai um funcionário público aposentado; de dentro dele sai um paciente de uma sessão de psicanálise; dentro desse paciente, nasce o Dom Quixote no início de sua trajetória; e, dentro dele, sai o último personagem, o cavaleiro da triste figura, que é Quixote no final de sua trajetória”, aponta Breda. 

Marcos Breda – “O Homem e a Mancha: 24 anos-luz”

Também já foi publicado o espetáculo infantil Zapato busca Sapato, da Trupe dos Truões (MG). A história conta a saga de Euyo, um sapato recém-nascido que descobre que seu par não estava na caixa de onde ele veio. O sapatinho protagonista inicia, então, uma busca para encontrar o par e embarca em uma série de aventuras, saindo do México, passando pelo Brasil e chegando a Moçambique. 

Hoje, 12 de agosto, às 18h30, será disponibilizada a versão em vídeo do espetáculo A Casa de Farinha do Gonzagão, da Cia Teatro da Investigação Teatro-Baile, de São Paulo (SP), em parceria com a Companhia de Teatro Flor do Asfalto e participação do Trio Marrom. Na história, os personagens das músicas do Rei do Baião — o instrumentista, compositor e cantor Luiz Gonzaga (1912-1989) — são transportados para uma casa de farinha, a cozinha do sertão, e lá, em sua intimidade criativa, contam seus “causos”, suas vidas. 

O espetáculo estreou em 2012, em homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga, e teve mais de 120 apresentações. A exibição física mesclava palco e plateia, além de misturar teatro, música e dança. “A Casa de Farinha de Gonzagão – Teatro Baile tem a interação do público o tempo todo. A gente serve comida e bebida para a plateia, que também dança na cena. É tudo junto, como se fosse um teatro-festa. Para o formato do vídeo, fizemos um ajuste para poder focar mais na história do que quando temos público”, conta Edu Brisa, responsável pela direção e dramaturgia. 

Cia Teatro da Investigação Teatro-Baile – “A Casa de Farinha do Gonzagão”

Amanhã, sexta-feira, será exibido A Cripta de Poe, da Companhia Nova de Teatro, também de São Paulo (SP), que completa 20 anos em 2021. Livremente inspirada nos textos do escritor estadunidense Edgar Allan Poe (1809-1849), a obra foi concebida em formato de “palco-instalação”, com intervenções videográficas. Para a companhia, por meio dos textos de Poe, é possível reconhecer o homem contemporâneo, com seus questionamentos, alucinações e neuroses cotidianas. 

A concepção cênica e dramatúrgica é de Lenerson Polonini, fundador da companhia em parceria com a atriz e figurinista Carina Casuscelli. A montagem estreou em dezembro de 2011, no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista. Em 2012, ganhou uma versão para temporada no Castelinho do Flamengo, no Rio de Janeiro (RJ), com ingressos esgotados em todas as sessões. Em 2016, circulou por oito cidades do interior paulista.  

Companhia Nova de Teatro – “A Cripta de Poe”

“Nesta nova versão para o Festival de Teatro Virtual da Funarte, juntamente com as projeções e vídeo mapeados do espetáculo, buscamos trazer a atmosfera do mundo fantástico e fantasmagórico de Edgar Allan Poe, acrescentando novas imagens e textos dramatúrgicos. Ao mesmo tempo, realizar a peça neste momento tão desafiador para a humanidade ressignificou todo o trabalho, possibilitando também a gravação digital em HD”, comenta o diretor Lenerson Polonini. 

A programação é resultado do edital Prêmio Funarte Festival de Teatro Virtual 2020, lançado em agosto do último ano com o objetivo de incentivar montagens para apresentação virtual e contribuir para a manutenção de coletivos, grupos e companhias. A agenda completa está disponível no portal da Funarte. 

Você também vai gostar disso 👇