Por dentro da Farol #6

Música #dubrasil

em 22 de fevereiro de 2021

“Música de trem é boa demais”

“Música de trem é boa demais”, disse certa vez o rei do sertanejo, Sérgio Reis. A fala veio em uma mensagem enviada pelo cantor, após um convite da Armada para uma parceria improvável. Escute na íntegra:

O dueto entre o punk rocker Henrike e Sérgio Reis acabou acontecendo e, segundo o vocalista da Armada, é a música mais bonita que ele já cantou. Intitulada “Próxima Estação”, a faixa faz parte do disco “Bandeira Negra” (2018), que marcou a estreia da banda composta por quatro quintos do extinto e lendário grupo Blind Pigs.

Ilustração: Paulo Rocker

No final de 2020, Clemente Nascimento (Inocentes / Plebe Rude) também nos brindou com uma canção sobre o tema. “Sobre Trilhos”, do projeto solo Clemente & A Fantástica Banda Sem Nome, foi feita para uma campanha em homenagem aos funcionários da empresa de sistema de transporte ferroviário CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). O videoclipe, filmado nas estações Luz, Júlio Prestes e Pátio de Manutenção, foi feito por colaboradores da CPTM e com a participação deles.  

Essas duas faixas me fizeram pensar nas vezes em que a temática me chamou atenção, e passando por diferentes estilos, comecei me lembrando das viagens de carro com o meu avô para o interior de São Paulo. Ele gostava de Raul Seixas e tinha uma fita com as melhores faixas no carro. Deitava a cabeça no encosto do banco quando tocava “Trem das Sete”, e me perdia em pensamentos, olhando a paisagem correr pela janela. 

 E quando chegávamos na cidadezinha de Casa Branca, numa casa de madeira pré-fabricada, onde passávamos os finais de semana, minha avó nos esperava com um lanche da tarde delicioso, que trocávamos por uma VHS com a gravação de todos os capítulos da semana da novela Pantanal. E assim, estava posta a programação da noite. Além do Sérgio Reis, que abriu esse texto, a novela contava com Almir Sater, e uma das músicas que ao longo dos anos se tornaria uma das minhas preferidas: “Tocando em frente”, uma parceria com Renato Teixeira. Mas o papo aqui é sobre trem, então “Trem do Pantanal”, do Paulo Simões e Geraldo Roça, que também foi citada por Sérgio Reis naquele papo com Henrike, cabe melhor nesta “lista”, e apesar de não ter sido trilha da novela, ficou registrada na voz de Almir Sater.  

Adolescente, “Nightrain”, do Guns’N Roses e “Crazy Train”, do Ozzy Osborne, passaram a fazer mais sentido que Raul Seixas ou Almir Sater. Mas não vou desviar o foco dessa coluna, que preza pela música brasileira. Então vamos saltar essa fase e pular para “Trem das Onze”, clássico maravilhoso do saudoso Adoniran Barbosa. Sem dúvidas, uma canção que jamais passaria despercebida. Ou a emocionante “Ponta de Areia” do Milton Nascimento. 

Anos atrás me surpreendi com um fenômeno chamado “Trem-Bala”. A linda canção da Ana Vilela tomou conta da internet e ganhou rapidamente o Brasil. Segura teu filho no colo, sorria e abrace seus pais enquanto estão aquiQue a vida é trem-bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir.  

O Sergio Reis tá mesmo certo, música de trem é boa demais! 

Texto por Paola Zambianchi, jornalista com mestrado em Artes Visuais e apaixonada por música. Durante muito tempo deixou as áreas divididas: trabalhava com música, estudava artes e guardava a escrita para reflexões de si mesma. Foi com a assessoria de imprensa que resolveu misturar tudo. Hoje, à frente da Farol Music, divulga a música independente, suas ideias, sonoridades e artes gráficas.

Você também vai gostar disso 👇