Por dentro da Farol

Música #dubrasil

em 11 de setembro de 2020

Não é novidade para ninguém que o impacto do isolamento social decorrente da pandemia de coronavírus tem causado preocupação nos especialistas de saúde mental. A crise sanitária vem agravando sintomas de ansiedade e depressão, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) já alertou sobre a necessidade do aumento de investimento na área. Na contramão desse quadro, e muito por causa dele também, assisto orgulhosa à criação de uma nova cena punk rock bubblegum, dessa vez com o objetivo declarado de trazer alegria e boas energias para esse momento conturbado. A banda Os Texugos e o projeto do pernambucano, radicado nos Estados Unidos, F.Snipes, são dois dos nomes que surgiram durante a quarentena para alegrar a playlist dos amantes do estilo. É dedicada a eles a minha primeira coluna na LABO Plural Singular.  

Os Texugos

Divertida de ouvir e de olhar, Os Texugos é uma banda apaixonada por Ramones, o que não é novidade, já que o grupo americano costuma ser santificado pelos bubblegumers. Seja nas referências estéticas, musicais ou temáticas, olhando de perto, tem Ramones para todos os lados no EP de 7 faixas “Quarentena em Hill Valley”, produzido por Davi Pacote. É amor assumido!  

O Joey tem TOC meu bem, eu tenho TOC também” diz a faixa inspirada no Transtorno Obsessivo Compulsivo enfrentado pelo vocalista Diogo Clock, que decidiu escrever a canção quando descobriu que o ídolo do Ramones também era portador da doença. Sem falar na “Toda vez que eu como Yakissoba eu penso naquela garota” que faz alusão a “Everytime I Eat Vegetables It Makes Me Think Of You” da banda punk americana. A ilustração do grupo, que não pôde fazer uma foto em meio a quarentena, já que seus integrantes estão espalhados entre cidades dos estados do Paraná e Santa Catarina, também remonta “Road to Ruin”, o quarto álbum de estúdio dos veteranos do punk rock.    

Mas Os Texugos está longe de ser apenas uma banda apaixonada pelos Ramones. Eles são uma grande banda. “Anos 80” é uma música contagiante, que provoca nostalgia em todas as criaturas com mais de 35 anos. “Curtindo a vida adoidado você nunca viu, garotos perdidos, mulher nota 1000. Os Gremlins e os Goonies alugou pra mim, conta comigo, nessa história sem fim”, diz um dos trechos da faixa que lista os filmes icônicos da época e ganhou um videoclipe divertidíssimo. Destaque também para “Despautério”, música emocionante feita a partir de um poema escrito pelo ex-padastro e grande amigo do vocalista, falecido recentemente. 

Os Texugos surgiu para ser um respiro de diversão em tempos de angústia provocada pela crise mundial na saúde, explica Diogo. “Esse é um momento de reflexão da sociedade, então queremos levar um pouco de alegria às pessoas. ‘Quarentena em Hill Valley’ resume bem como essa pandemia horrível nos trouxe algo tão bacana. Em tempos de tempestade conseguimos achar calmaria e alegria, ânimo em tempos de desânimo. O que esperamos é conseguir levar um pouco de diversão às pessoas. Se atingirmos uma que se anime ou se divirta nesses tempos, cumprirmos um bom papel”. 

A ‘cara’ descontraída da banda deve muito também ao artista brasiliense Paulo Rocker, responsável por todo o material gráfico do lançamento, que contou com uma ilustração para cada música, além da capa do disco e do desenho do grupo. 

Ouça Os Texugos: https://sl.onerpm.com/3679523113

Assista ao videoclipe de “Anos 80”

Banda: Os Texugos
EP: “Quarenta em Hill Valley”
Gravadora: Lançamento independente
Ano: 2020

F.Snipes

O pernambucano Felipe Snipes também contou com a ajuda do produtor gaúcho Davi Pacote, que fez a gravação remota do EP de estreia do projeto F.Snipes, intitulado “Sol”.  

Com quatro faixas, o trabalho conta com influências do bubblegum e do street punk e é apresentado por seu idealizador como “punk rock do espaço”. O conceito se dá, já que Snipes passeia livremente por temáticas do misticismo, espiritualismo, ufologia, sonhos lúcidos, na maior vibe ‘gratidão universo’. “Todos temos missões nessa jornada evolutiva e acredito que uma das minhas principais missões é levar boas energias através da arte e da conexão de frequências. O meu processo criativo na composição envolve em abrir o coração e aquietar a cabeça para conseguir receber as vibrações certas”, revela o músico. 

Mas não se engane, as canções têm melodias que vão te deixar cantarolando por horas. “Sol” transborda positividade, mesmo quando trata questões delicadas como a interrupção de uma gravidez esperada por Snipes e sua companheira. O assunto embalou o single radiofônico “Tudo no seu tempo”, que, garanto, gruda mesmo igual chiclete, fazendo jus ao nome do estilo. As faixas “07 de Junho”, “Onironauta” e “Prezado você” completam o EP. 

O nosso planeta está passando por tempos sombrios e precisa urgentemente mudar a sua vibração. O que tento trazer com a música é uma forma de elevar emoções, sentimentos e transformar energias que possam melhorar a nossa frequência”, avalia Snipes. E eu me arrisco dizer que, se depender dele, nossos dias em casa ficarão mais leves e reflexivos.    

Para colaborar com a transmissão da mensagem, ele convidou Cristiano Suarez para assinar a capa do EP. O artista levou o sol para dentro de uma floresta mágica e materializou, em forma de cores, a energia vibrante deste trabalho.

Ouça “Sol”: https://sl.onerpm.com/6604603652

Assista ao videoclipe de “Tudo no seu Tempo”

Banda: F.Snipes
EP: “Sol”
Gravadora: Grudda Records
Ano: 2020

Texto por Paola Zambianchi, jornalista com mestrado em Artes Visuais e apaixonada por música. Durante muito tempo deixou as áreas divididas: trabalhava com música, estudava artes e guardava a escrita para reflexões de si mesma. Foi com a assessoria de imprensa que resolveu misturar tudo. Hoje, à frente da Farol Music, divulga a música independente, suas ideias, sonoridades e artes gráficas.

Você também vai gostar disso 👇